MATÉRIAS

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Fatima Ziegler. será homenageada em Porto

 Velho - Rondônia - com o Prêmio

"MULHER NOTÁVEL 2016"



E NO DIA DA HOMENAGEM...



Inexplicável a emoção que eu senti ao ser agraciada com o Prêmio Mulher Notável 2016. Eu tremia demais de emoção.

Agradeço a Porto Velho - RO - que ficará para sempre em meu coração.

Agradeço a Michelli Silva Umbelino que é uma profissional incrível e uma amiga especial demais.

Parabéns a todos os organizadores do belíssimo evento.







Fatima Zieglrer
Professora de Protocolo
Professora de Cerimonial Social
Professora de Etiqueta e Postura

quinta-feira, 14 de julho de 2016

CADA UM PARA UM LADO

No inicio da minha carreira existiam os profissionais A B e C.

O cliente já sabia qual era a qualidade e o perfil financeiro que ele deveria procurar.


Hoje, mesmo sem o menor talento, cada um puxa a corda para o seu lado, para depois pensar se terá condições para cumprir.

A corda não cede por merecimento e sim pela força de braço, pela oferta desleal e pelas informações mentirosas.

“A pessoa acaba usando um poder que não existe”.

Muitos podem ter talento, porém, não tem o rumo profissional.

O talento revela-se exatamente porque esconde a sua perfeição.

Para se ter talento é necessário estarmos convencidos de que o temos, para depois analisar a respeito da nossa capacidade.

Não é honesto perguntar quanto que o outro profissional cobrou para poder fazer uma proposta menor. O seu trabalho varia de acordo com as outras pessoas ou ele está paralelo a sua ética?

Talento é quando um atirador atinge o alvo que os outros não conseguem. Profissional brilhante é quando um atirador atinge o alvo que os outros não vêem.

Não consigo acreditar nas pessoas que criam páginas fake para ficar bisbilhotando a vida dos concorrentes. Isso é vazio demais.

Vamos pensar em um mercado mais valorizado, respeitando com dignidade o perfil de cada um.

Com carinho e com esperanças.

Fátima Ziegler Ziegler Dore

21 - 22342943 / 987263276


sábado, 9 de julho de 2016

CONVIDANDO COM ELEGÂNCIA

 (CONVITES).

Não estou delegando, apenas comentando.

Comento sempre nos cursos que, hoje em dia, muitos noivos já estão com a vida profissional muito bem definida financeiramente.

Sendo dessa maneira, os noivos decidem redigir o convite de casamento com a informação de que apenas “eles” convidam e não mais os seus pais, e muitos nem citam o nome de seus pais no texto.

Peço licença para dizer que essa atitude fere os sentimentos paternos.

Não estou citando os pais separados que escreveram alguma história negativa.

Não é nada disso.

Sempre seremos filhos de alguém, portanto, não será a sua excelente posição financeira que informará para a sociedade quem pagará o evento.

Lamento que nem todos os pais se encontrem em condições de pagar uma festa, mas sempre serão os seus Pais.

Não ignorem isso.

Essa atitude pode parecer pequena aos olhos de muitas pessoas, porem não é, ao contrário, essa situação magoa demais.

Quem não desejar colocar no convite os nomes dos pais, que coloque que os noivos (que são filhos de...) e o nome dos pais (um pouco abaixo) convidam para o casamento a realizar-se no dia...às...local.

Ficará uma situação imensamente elegante e ninguém será magoado.

Essa é a minha opinião.

Fatima Ziegler
Professora de Etiqueta e Postura
Professora de Cerimonial Social

quinta-feira, 7 de julho de 2016


Fatima Ziegler - Há 28 anos no mercado

UM SOPRO NO AR.

O que é a organização de um Casamento?

O que é produzir um belo Casamento?


É pensar sobre o envolvimento do perfeito ou é executar o passo-a-passo dentro do total desconhecimento sobre o assunto?

É interessante criar um modismo americano dentro da nossa cultura?

Será melhor excluir totalmente a modernidade Europeia, já que não é interessante (para algumas pessoas) colocar em prática as virtudes do bom gosto?

Por que não?

Por que sim?

Quando falo em qualidade não deixo de envolver:

A elegância.

O absurdo.

A falta de sensatez.

O bom gosto.

A sensibilidade.

O péssimo gosto.

Os acertos.

Os erros.

O desconhecimento.

O conhecimento.

A paixão.

O sucesso.

Ficaria um ano falando sobre tudo que é identificado em um evento de Casamento.

Falo sobre Casamento por ter me fascinado durante todos esses anos.

Hoje é mais difícil fazer o cliente compreender o que é adequado para o Casamento ou o melhor é aguardar o comando deles?

E por outro lado, é importante ressaltar que o cliente já vem com um mapa pronto com tudo o que ele deseja que aconteça no grande dia: Cachorro entrando pela nave, carrinhos motorizados trazendo crianças de 01 aninho para a cerimônia, placas pedindo para que o Noivo fuja enquanto é tempo, drone sobrevoando o recinto, bolas, pétalas, fogos, arroz para a saída dos Noivos, lenços de alegria para que os convidados chorem de emoção, sola do sapato do Noivo pedindo socorro, entre diversos outros itens criativos e surpreendentes.

O cliente quer?

Tem de se fazer, afinal, o cliente é o dono do evento.

Como podemos questionar uma situação como essa?

Como fica difícil explicar o que é certo ou errado para um mercado de tantos profissionais envolvidos.

Assim como envolvidos estão jovens talentos, afobados para fazerem tudo acontecer de qualquer maneira, e com a mesma velocidade desejar que tudo termine o quanto antes para que venha o próximo evento.

Mas como pode ser importante desejarem-se diversos eventos se o valor cobrado é tão baixo?

Fico incrédula ao saber que, para algumas pessoas, o valor dos nossos brilhantes serviços está valendo apenas trezentos reais.

Você acha um absurdo?

Então pense em modificar essa história.

Receio que o nosso ofício seja contado pelos nossos netos como uma profissão que um dia existiu, mas que desapareceu como fumaça.

Fatima Ziegler.
Professora de Cerimonial Social.
Professora de Etiqueta e Postura.

sábado, 2 de julho de 2016



FOTÓGRAFOS E CINEGRAFISTAS

Compreendam.

Entendam.

Respeitem e

Conheçam a importância de um trabalho em equipe.

Reconheçam que não somos donos do evento.

Somos contratados para prestar SERVIÇOS.

Existe um Maestro do Evento e existem os músicos, no seu caso, você fará parte da orquestra com um instrumento importantíssimo nas mãos, mas jamais estará na posição de Maestro.

Sendo assim, vamos ficar atentos aos segmentos do evento para que a orquestra não desafine.

Ministrando cursos pelo Brasil, eu ouvi muitos relatos dos alunos falando sobre os serviços que são prestados em Casamentos, e como é o trabalho de alguns profissionais.

Posso garantir que o trabalho dos fotógrafos foi o que mais me chamou a atenção, com um peso negativo e desrespeitoso.

Deixando claro que não estou generalizando os profissionais da arte que tanto encantam a todos nós, mas dando um toque especial nas atitudes que não combinam com o Protocolo, com as Boas Maneiras e tão pouco com a Ética.

Conversando com os alunos, fui informada que, em diversas regiões do nosso país, os fotógrafos dão ordens nos eventos.

Eles são os donos do pedaço.

Eles pegam os Noivos na saída do cortejo, vão com eles para algum local e ficam 02 (DUAS) horas fotografando.

Alguns levam para lugares da cidade e outros levam até para dentro do próprio estúdio.

Fico imaginando o quanto deve ser “interessante” para o Noivos ficarem DUAS horas a mercê de fotografias que poderiam ser tiradas após o Casamento.

Já no caso de outros profissionais da mesma área, pedem que o Cerimonial não se meta no trabalho deles para que eles possam informar o momento de cortar o bolo, servir o jantar e jogar o buquê.

Achei tudo isso surreal.

Posso até afirmar que eu achei abusivo demais.

Certamente que compreendo que o mercado está cheio de jovens novatas Cerimonialistas, que nem sabem fazer um cortejo, mas acho que o respeito deve acontecer entre todas as equipes, afinal trabalhamos em harmonia profissional.

Aconteceu comigo uma única vez em minha carreira. Uma equipe de fotografia (grosseira demais), ao chegar ao local da recepção, exatamente quando íamos para o lugar das fotos dos Noivos padrinhos, pais e crianças, falou agressivamente: “Agora pode deixar que eu farei meu serviço”.

Apenas respondi: “Sim, o Senhor pode ficar à vontade”. Quando eu estava para me retirar, ainda disseram: “Pode me ajudar a reunir os padrinhos e as crianças” e eu respondi de imediato: “Esse é o seu trabalho, portanto faça o senhor agora”.

Vejam como um deslize pode causar um transtorno.

Vocês já sabem, mas não custa lembrar: Não temos que sentar à mesa com os convidados, não devemos pegar alimentos no meio do salão e nem beber bebidas alcoólicas em horário de trabalho, e, se não se importarem, manter um traje elegante e adequado para o estilo do evento.

Fatima Ziegler
Professora de Cerimonial Social
Professora de Etiqueta e Postura

MEDICAMENTOS EM EVENTOS.

Conversamos sempre quanto ao perigo de colocar medicamentos nos banheiros ou oferecer diretamente para os convidados.

O perigo é enorme e a responsabilidade será toda nossa.

Após a maravilhosa e importante Palestra do Doutor Claus Robert Zeefried - Diretor do Samu em São Paulo - passei a alertar a todos os meus alunos com relação a proibição, assim como, quanto as clausulas que deverão constar em contrato, quando os Pais ou os Noivos insistirem com essa atitude.

Vejam o que recebi de uma Advogada sobre esse assunto:

No que diz respeito à sua prática de assistir aos trabalhadores, portanto na caixa de primeiros socorros, não podem existir medicamentos, mesmo que seja para cólicas ou diarréias, só material como gaze, esparadrapo, ataduras, talas, bandagens, entre outras.

Com a entrada em vigor do Código de Defesa do Consumidor, e do novo Código Civil (arts. 186, 187 e 927), as empresas passaram a correr um grande risco de serem acionadas judicialmente por qualquer efeito colateral que ocorra no uso de medicamentos fornecidos pela mesma a um de seus funcionários.

Portanto, oferecer medicamentos em banheiros de eventos não é aconselhado por conta do livre acesso, e crianças podem ingerir esses medicamentos pela facilidade no alcance.

Quando a empresa é quem fornece a droga, não é somente automedicação que estaria em questão, mas também uma prática irregular do exercício de uma atividade inerente a alguns profissionais da saúde.

Existem pessoas que possuem alergia a determinado medicamento, e quem se responsabilizará caso ocorra uma reação alérgica?

CONCLUSÃO: NÃO FORNEÇA OU ACONSELHE A DISTRIBUIÇÃO OU O USO DE MEDICAÇÃO DE FORMA LIVRE EM EVENTOS.

Amigos, jamais cedam as insistências do cliente.

Cerimonial Social.
Adoro o meu trabalho.